terça-feira, 15 de agosto de 2017

Programas por cargo do edital do Concurso para PETROBRAS 2017

PROGRAMA BÁSICO

para todos os cargos de nível médio técnico

LÍNGUA PORTUGUESA

Interpretação textual. Pontuação: emprego da vírgula. Emprego do acento indicativo de crase. Ortografia (escrita correta das palavras e acentuação gráfica - em conformidade com o novo acordo ortográfico). Colocação pronominal dos pronomes oblíquos átonos (próclise, mesóclise e ênclise). Uso dos pronomes relativos. Concordância verbal e nominal. Regência verbal. Uso das palavras: porque, por que, por quê e porquê, que, se, há e a. Classes das palavras e suas funções sintáticas

MATEMÁTICA

Teoria dos Conjuntos. Conjuntos Numéricos. Relações entre conjuntos; Funções exponenciais, logarítmicas e trigonométricas. Equações de 1º grau. Equações Polinomiais reduzidas ao 2º grau. Equações exponenciais, logarítmicas e trigonométricas; Análise Combinatória: permutação, arranjo, combinação. Eventos independentes; Progressão Aritmética. Progressão Geométrica; Matrizes. Determinantes. Sistemas Lineares; Trigonometria. Geometria Plana. Geometria Espacial; Geometria Analítica: equação da reta, parábola e círculo; Matemática Financeira: capital, juros simples, juros compostos, montante.

PROGRAMA ESPECÍFICO

TÉCNICO(A) DE INSPEÇÃO DE EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES JÚNIOR

BLOCO 1 - Eletroquímica; Desenho Técnico; Dilatação térmica; Sistema Internacional de Unidades; Estática; Dinâmica; Metrologia; Funções Químicas; Medição de temperatura e suas escalas; Conversão de Unidades.

BLOCO 2 - Aço Carbono - Diagrama de Equilíbrio; Hidrostática; Eletricidade básica; Ondas mecânicas e eletromagnéticas; Reações de óxido-redução.

BLOCO 3 - Transferência de calor; Estequiometria; Hidrocarbonetos; Soldagem - Eletrodo revestido e TIG; Mudanças de estado; Calorimetria.

TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR – ELÉTRICA

BLOCO 1 - Simbologia e diagramas elétricos: unifilares e trifilares, esquemas de acionamento e controle. Noções básicas de circuitos elétricos de corrente contínua. Noções básicas de circuitos elétricos de corrente alternada: corrente e tensão senoidais, valor eficaz e valor de pico. Potência e energia elétrica: potência ativa, reativa e aparente, fator de potência e correção do fator de potência. Circuitos monofásicos e trifásicos: tensão de linha, tensão de fase e ligação estrela/triângulo. Noções básicas de eletromagnetismo. Funcionamento básico e aplicação de máquinas elétricas: transformadores, máquinas síncronas, máquinas de corrente contínua e motores de indução. Dispositivos de proteção de baixa tensão. Acionamentos e comando de motores elétricos. Conceitos básicos de segurança e higiene do trabalho. Equipamentos de proteção individual e coletiva com ênfase em eletricidade. Interpretação e análise de projetos elétricos.

BLOCO 2 - Fundamentos de Medidas elétricas. Utilização de instrumentos de medição e testes elétricos: corrente, tensão, potência e isolação. Funcionamento básico e aplicação de retificadores, baterias e no-braaks. Instalações elétricas de baixa tensão. Redes aéreas e instalações elétricas de 1,0 kV a 17,5 Kv.

BLOCO 3 - Grandezas elétricas e magnéticas e Sistema Internacional de Unidades. Conhecimentos de aterramento de equipamentos. Conceitos básicos de sistemas de proteção contra descargas atmosféricas (SPDA). Conhecimentos básicos da norma ABNT NBR-5410. Conceitos básicos de manutenção elétrica. Conceitos básicos de eletrônica analógica e digital. Conceitos básicos de diagramas lógicos. Conceitos básicos de automação industrial. Conhecimentos de materiais e ferramentas utilizados em instalações e serviços em eletricidade. Conhecimento da Norma Regulamentadora NR-10 Segurança em eletricidade.

TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR – INSTRUMENTAÇÃO

BLOCO 1 - Noções de metrologia científica: calibração e rastreabilidade de instrumentos e demais conceitos do Vocabulário Internacional de Metrologia (VIM). Transmissores pneumáticos, eletrônicos analógicos, digitais e inteligentes. Elementos finais de controle (válvulas de controle pneumáticas, hidráulicas, motorizadas) e seus acessórios (posicionadores, válvulas solenoides, indicadores de posição e filtros reguladores). Conhecimento da documentação básica de projetos de instrumentação (fluxograma de engenharia, lista de instrumentos, folhas de dados, típicos de instalação, diagramas de interligação, diagramas de malha, diagramas lógicos, matriz de causa e efeito, plantas de instrumentação e listas de materiais), Terminologia e simbologia ISA S5.1. Noções de medição, definições e unidades de pressão, temperatura, nível, vazão, massa e densidade. Conceitos básicos de manutenção corretiva, preventiva, preditiva e comissionamento.

BLOCO 2 - Noções de controladores lógicos programáveis (CLP), e suas linguagens de programação (ladder e diagrama de blocos). Noções de controle de processos (sistemas de malha aberta e malha fechada). Noções de arquitetura de redes industriais de comunicação. Noções de sistemas instrumentados de segurança.

BLOCO 3 - Conhecimentos básicos em eletrônica analógica e eletrônica digital. Noções de mecânica dos fluidos. Noções de saúde e segurança do trabalho. Noções de dimensionamento e seleção de elementos primários de medição (termopares e placas de orifício) e elementos finais de controle (válvulas de controle). Noções básicas de analisadores (medidores de pH, condutivímetros, densímetros, percentual de oxigênio e cromatógrafos.

TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR – MECÂNICA

BLOCO 1 - Metrologia, instrumentos de medição e sistema de ajuste e tolerância. Elementos de máquinas. Desenho técnico mecânico. Resistência dos materiais. Processos de fabricação mecânica. Sistemas hidráulicos e pneumáticos.

BLOCO 2 - Gestão da Manutenção: Manutenção Preventiva, Corretiva e Preditiva. Noções sobre equipamentos mecânicos: bombas, compressores, motores de combustão interna, turbinas a vapor e turbinas a gás. Lubrificação.

BLOCO 3 - Metalografia e tratamentos térmicos. Materiais de construção mecânica (metálicos e não metálicos). Segurança e higiene do trabalho. Noções de soldagem. Ensaios mecânicos e ensaios não destrutivos. Noções de eletrotécnica.

TÉCNICO(A) DE OPERAÇÃO JÚNIOR

BLOCO 1 - Ácidos, bases, sais e óxidos, Reações de óxido-redução, Cálculos estequiométricos, Transformações químicas e equilíbrio, Condições de Equilíbrio, Soluções aquosas, Dispersões, Natureza elétrica da matéria, Leis de Newton, Eletrostática, Cargas em movimento, Eletromagnetismo, Termodinâmica Básica, Noções de Instrumentação, Química orgânica: hidrocarbonetos e polímeros, Noções de Metrologia, Noções de eletricidade e eletrônica.

BLOCO 2 - Estática, Cinemática e Dinâmica, Conservação de Energia Mecânica, Propriedades e processos térmicos, Máquinas Térmicas e processos naturais, Termoquímica, Radiação eletromagnética, Hidrostática, Escalas de Temperatura, Estudo dos Gases.

BLOCO 3 - Noções de controle de processo, Noções de Operações Unitárias, Noções de Equipamentos de Processo: Bombas centrífugas e alternativas, Permutadores de casco/tubo, Tubulações industriais, válvulas e acessórios, Segurança, Meio Ambiente e Saúde, Mecânica dos Fluidos, Transmissão e transmissores pneumáticos e eletrônicos.

TÉCNICO(A) DE SEGURANÇA JÚNIOR

BLOCO 1 - Princípios de Prevenção e controle de riscos em máquinas, equipamentos e instalações: Caldeiras e vasos de pressão; Movimentação de cargas; Instalações elétricas; Máquinas e ferramentas; Trabalhos a quente (soldagem, corte e ferramentas abrasivas); Trabalho em espaços confinados; Construção civil; Trabalhos em altura; Segurança e Saúde nos Trabalhos com inflamáveis e combustíveis: requisitos mínimos de segurança e saúde na realização de trabalhos inflamáveis e combustíveis; prevenção contra os fatores de risco de acidentes provenientes das atividades de extração, produção, armazenamento, transferência, manuseio e manipulação de inflamáveis e líquidos combustíveis. Elementos de Higiene Ocupacional: Programa de Prevenção de Riscos Ambientais; Gases e vapores; Aerodispersoides; Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos; Exposição ao ruído; Exposição ao calor; Metodologias de avaliação ambiental estabelecidas pela Fundacentro; Radiações ionizantes e não-ionizantes; Trabalho sob condições hiperbáricas; Limites de tolerância e de exposição; Fundamentos de Proteção contra Incêndio: Sistemas fixos e portáteis de combate ao fogo; Armazenamento de produtos inflamáveis; Brigadas de incêndio; Plano de emergência e de auxílio mútuo; Legislação e Normas Técnicas: Segurança e Saúde na Constituição Federal e na Consolidação das Leis do Trabalho; Normas Regulamentadoras de SST; Convenções da Organização Internacional do Trabalho; Benefícios previdenciários decorrentes de acidentes do trabalho; Perfil Profissiográfico Previdenciário.

BLOCO 2 - Acidente do trabalho: Conceito técnico e legal; Causas e consequências dos acidentes; Taxas de frequência e gravidade; Estatísticas de acidentes; Custos dos acidentes; Comunicação e registro de acidentes; Investigação e análise de acidentes; Aspectos de Segurança no Trânsito com base no Sistema Nacional de Trânsito. Código de Trânsito Brasileiro - CTB (Lei nº 9.503, de 23/09/97); Princípios de análise, avaliação e gerenciamento de riscos: Inspeção de segurança; Técnicas de análise de risco: APR e HAZOP; Princípios de Gestão de Segurança, Meio Ambiente e Saúde: Organização e atribuições do SESMT e da CIPA; Sistemas de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional de acordo com a OHSAS 18001:2007; Diretrizes da OIT sobre Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho; Noções de Desenvolvimento Sustentável.

BLOCO 3 - Ações de Saúde: Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional; Prevenção de Doenças Relacionadas ao Trabalho; Suporte Básico à Vida; Elementos de Ergonomia: Conforto ambiental; Organização do trabalho; Mobiliário e equipamentos dos postos de trabalho; Princípios de Planejamento e Resposta a Emergências: Plano Nacional de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida a Emergências Ambientais com Produtos Químicos Perigosos - P2R2. (Decreto Federal 5.098/2004 e suas alterações); Resolução CONAMA 398/2008 e suas alterações; Noções de resposta à contingência em acidentes com hidrocarbonetos líquidos e gasosos; Noções de Sistema de Comando de Incidentes: princípios, funções, estrutura e recursos;
Plano Nacional de Contingência (Decreto Federal 8.127/2013).


segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Nossos APROVADOS recentes

RESULTADO FINAL DO 

CONCURSO DA BR DISTRIBUIDORA 
clique aqui para ver.

Parabéns aos nossos queridos alunos (as) :

ALLAN DE ALMEIDA CORREA
ESDRAS DOS SANTOS MENDES
FILIPE RODRIGUES VIEIRA
GABRIEL COSTA LIMA DA SILVA
GUILHERME DO NASCIMENTO JALES
ISABELLE CANDIDO DE FREITAS
IURI RUMBELSPERGER FERRAZ DA FONSECA
LORRAINY SANTOS DA SILVA
PAMELA LOURENÇO DE SOUZA
RENAN TRIACA
RENAN WILSON DOS SANTOS NOBRE
RODRIGO SOARES PEIXE
RODRIGO DE SOUZA FARIA
VINICIUS LIMA FERREIRA


Aprovados na BR PETROBRAS DISTRIBUIDORA 
no dia 12.05.2015

quinta-feira, 26 de junho de 2014

APROVADOS NA PETROBRAS pelo Curso CPOG nas vagas imediatas (TEMOS MAIS ALUNOS aprovados em CADASTRO)

nossos alunos aprovados na PETROBRAS !

prova realizada em 18/05/2014

LEIA O NOME DOS APROVADOS DO CURSO CPOG
NA PRIMEIRA LISTAGEM DIVULGADA PELA PETROBRAS 

TEMOS DEZENAS de alunos APROVADOS NO CADASTRO DE RESERVA ! OS ALUNOS LISTADOS ABAIXO FORAM APROVADOS NAS POUCAS VAGAS IMEDIATAS OFERECIDAS PELA PETROBRAS ! 

Atenção ex-ALUNOS CPOG com nome aprovado no cadastro da PETROBRAS


SEREMOS GRATOS AOS nossos ex-ALUNOS APROVADOS EM CADASTRO, QUE DESEJAREM NOS ENVIAR O SEU NOME E POSIÇÃO NO CADASTRO.  ESTES TERÃO DESCONTO SE DESEJAREM REFAZER O CURSO. 

RESULTADO DO CONCURSO de 18/05/2014


A Petróleo Brasileiro S.A. - Petrobras divulgou nesta data, a listagem final dos candidatos aprovados e classificados no processo seletivo aberto pelo Edital 01/2014. Esta publicação aconteceu no Diário Oficial da União do dia 26 de junho, dando conta da classificação dos candidatos, do cargo e do pólo de trabalho dos candidatos aprovados. O Curso CPOG deseja muito sucesso profissional e pessoal aos seus alunos aprovados neste concurso. Mais uma prova da lisura e honestidade dos processos seletivos da PETROBRAS e da Fundação Cesgranrio. Nesta empresa não há vagas para afilhados e apadrinhados de políticos. Daí o seu sucesso ao longo da sua honrosa história de 60 anos prestados ao desenvolvimento do Brasil. Parabéns aos futuros empregados da PETROBRAS ! Os professores do Curso CPOG mandam um fortíssimo abraço a todos vós ! PARABÉNS ! Estamos muito felizes ! O mérito e a grandeza desta conquista só voces sabem avaliar !
   Os candidatos listados abaixo serão convocados em breve. Outra listagem com aprovados que estão em cadastro de reserva, divulgaremos tão logo ocorra sua publicação ! Temos aprovados no cadastro !

Publicado em 20.02.2014 - EDITAL Nº 1 - PETROBRAS/PSP RH 2014.1

Publicado em 26.06.2014 - Resultado Final 
(   P u b l i c a ç ã o         n o         D  O  U   )

CURSO CPOG parabeniza os nossos alunos ! 

Sem o esforço e a dedicação de voces isto não seria possível !


A L U N O S     DO    C P O G    APROVADOS  nas  poucas
VAGAS  IMEDIATAS  da  prova  realizada  em  18/05/2014 


Novo Técnico de Suprimento Jr. ADMINISTRAÇÃO da PETROBRAS 

DOUGLAS RODRIGUES DIAS 


Novos Técnicos de Inspeção de Equipamentos da PETROBRAS

RAFAEL MACHADO DA SILVA 


RAPHAEL MUNIZ PACHECO 


RENAN FERREIRA ALVES



Novos Técnicos de Segurança Jr. da PETROBRAS

ADRIANA SANTOS ROCHA DE SOUZA

FERNANDA NEVES DOS ANJOS


INGRYD CORREIA


LUIZ CLAUDIO REZENDE DA SILVA JUNIOR


MEYBEL CARLA LAGADEAU


THIAGO COUTINHO DA CUNHA

Novos Técnicos de Operação Jr. da PETROBRAS

CAIO FERNANDO RISCADO TORINO

GABRIELLE DA SILVA MACHADO

JOHN CLAUDIO BARROS DE SANTANA 

Nossos professores mandam um forte abraço a todos ! Parabéns !


REQUISITOS E CARACTERÍSTICAS DOS CARGOS DO ÚLTIMO CONCURSO DA PETROBRAS em 2014

CARGO: TÉCNICO(A) AMBIENTAL JÚNIOR
Requisito: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Meio Ambiente, ou em Controle Ambiental, ou em Biotecnologia, ou em Florestas, ou em Análises Químicas, ou em Química, ou em Saneamento, ou em Hidrologia, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.
Exemplo de atribuições: executar e participar de programas de controle de poluição, de otimização da utilização da água, energia e insumos, e dos processos de licenciamento e autorizações ambientais.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE ADMINISTRAÇÃO E CONTROLE JÚNIOR
Requisito: diploma ou certificado de conclusão de curso de nível médio, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.
Exemplo de atribuições: executar e participar da preparação de dados, documentos, relatórios, textos, planilhas e gráficos, e das atividades de apoio administrativo.
Remuneração: salário básico de R$ 1.721,05 com garantia de remuneração mínima de R$ 2.821,96.
CARGO: TÉCNICO(A) DE COMERCIALIZAÇÃO E LOGÍSTICA JÚNIOR
Requisito: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Administração, ou em Comércio, Comércio Exterior, ou em Finanças, ou em Logística, ou em Marketing, ou em Vendas, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.
Exemplo de atribuições: executar e participar de atividades de controle e suporte ao comércio de petróleo e derivados, álcoois, gás natural e energias renováveis; controle das movimentações de suprimentos, logística e estoque dos produtos da Companhia, tais como: apropriações de volumes, registros de perdas e sobras físicas, entre outros.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE ENFERMAGEM DO TRABALHO JÚNIOR
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Enfermagem, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação, complementado por curso de qualificação de Auxiliar de Enfermagem do Trabalho. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar de ações assistenciais de enfermagem dentro do atendimento ambulatorial, e em situações de urgências e emergências, dentro do atendimento pré-hospitalar, e de ações de promoção de saúde, higiene ocupacional, ergonomia e saúde ambiental.
Remuneração: salário básico de R$ 1.721,05 com garantia de remuneração mínima de R$ 2.821,96.
CARGO: TÉCNICO(A) DE ESTABILIDADE JÚNIOR
Requisito: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Automação Industrial, ou em Construção Naval, ou em Eletricidade e Instrumentos Aeronáuticos, ou em Eletroeletrônica, ou em Eletromecânica, ou em Eletrônica, ou em Eletrotécnica, ou em Fabricação Mecânica, ou em Manutenção Automotiva, ou em Manutenção de Aeronaves, ou em Manutenção de Máquinas Pesadas, ou em Máquinas Navais, ou em Mecânica, ou em Mecânica de Aeronaves, ou em Mecânica de Precisão, ou em Mecatrônica, ou em Metalurgia, ou em Metrologia, ou em Petróleo e Gás, ou em Soldagem, ou em Telecomunicações, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.
Exemplo de atribuições: executar e participar das operações dos sistemas de lastro e de amarração, de máquinas, bombas e demais instalações de controle, e das operações de carregamento, descarregamento e redistribuição de cargas na plataforma.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
26
CARGO: TÉCNICO(A) DE EXPLORAÇÃO DE PETRÓLEO JÚNIOR - GEODÉSIA
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Agrimensura, ou em Estradas, ou em Geodésia e Cartografia ou Geoprocessamento, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar de procedimentos técnicos de apoio aos serviços de prospecção geodésica. Executar tarefas básicas de apoio ao levantamento, aquisição, descrição, mapeamento, computação, processamento, organização e atualização de dados geodésicos.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE EXPLORAÇÃO DE PETRÓLEO JÚNIOR - GEOLOGIA
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Geologia, ou em Mineração, ou em Recursos Minerais, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar de procedimentos técnicos de apoio aos serviços de prospecção geológica. Executar tarefas básicas de apoio ao levantamento, aquisição, descrição, mapeamento, computação, processamento, organização e atualização de dados geológicos.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE EXPLORAÇÃO DE PETRÓLEO JÚNIOR - INFORMÁTICA
Requisito: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Informática, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.
Exemplo de atribuições: executar e participar das tarefas básicas de apoio ao levantamento, aquisição, descrição, mapeamento, computação, processamento, organização e atualização de dados, na sua área de atuação; prestar serviços administrativos e de apoio logístico, operacionalizando sistemas, providenciando recursos necessários e elaborando relatórios conforme normas vigentes na Companhia.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE INFORMÁTICA JÚNIOR
Requisito: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Informática, ou em Computação Gráfica, ou em Informática para internet, ou em Manutenção e Suporte em Informática, ou em Programação de Jogos Digitais, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.
Exemplo de atribuições: executar e participar das tarefas de apoio ao processo de desenvolvimento de sistemas, atuando em programação, testes e na elaboração da documentação, bem como no atendimento das demandas das áreas clientes, orientando-as para a correta utilização de hardware e software.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE INSPEÇÃO DE EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES JÚNIOR
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Automação Industrial, ou em Eletroeletrônica, ou em Eletromecânica, ou em Eletrônica, ou em Eletrotécnica, ou em Fabricação Mecânica, ou em Inspeção de Equipamentos, ou em Mecânica, Mecânica de Precisão, ou em Mecatrônica, ou em Metalurgia, ou em Metrologia, ou em Química, ou em Soldagem, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar das atividades de inspeções em operação, manutenção, fabricação ou montagem de equipamentos, dutos e instalações, calibração de instrumentos de inspeção, ensaios destrutivos, não destrutivos e metalográficos, testes de pressão, de cálculo de taxa de corrosão e desempenho de equipamentos, controle dimensional e acompanhamento de tratamento térmico, utilizando métodos, instrumentos e equipamentos adequados.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTE JÚNIOR - CONTROLE
Requisito: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Administração, ou em Aeroportuário, ou em Comércio Exterior, ou em Logística, ou em Portos, ou em Suprimento, ou em Transporte de Cargas ou Transporte Rodoviário, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.
Exemplo de atribuições: executar e participar das atividades de programação e controle de transporte rodoviário, aquaviário e aéreo, garantindo o cumprimento das exigências legais, técnicas e de segurança, bem como realizar estudos na área de transporte e executar a fiscalização técnica e administrativa dos contratos de serviços de transporte.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE LOGÍSTICA DE TRANSPORTE JÚNIOR - OPERAÇÃO
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Carteira Nacional de Habilitação - CNH, no mínimo, categoria B.
Exemplo de atribuições: executar e participar das atividades de movimentação e transporte de cargas e pessoas, garantindo o cumprimento das exigências legais, técnicas e de segurança; providenciar e controlar revisões periódicas, abastecimento, lubrificação, serviços básicos de conservação, manutenção preventiva e pequenos reparos em máquinas e equipamentos de movimentação e transporte.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
27
CARGO: TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR - CALDEIRARIA
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Eletromecânica, ou em Fabricação Mecânica, ou em Mecânica, Mecatrônica, ou em Metalurgia, ou em Soldagem, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar das tarefas de manutenção corretiva, preventiva e preditiva nas instalações e equipamentos industriais da sua área de especialização, empregando conhecimentos técnicos e operacionais específicos e complementares, de acordo com as instruções técnicas, desenhos, normas e legislação pertinentes; executar a fiscalização técnica dos contratos de serviços.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR - ELÉTRICA
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Eletroeletrônica, ou em Eletromecânica, ou em Eletrotécnica, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar das tarefas de manutenção corretiva, preventiva e preditiva nas instalações e equipamentos industriais da sua área de especialização, empregando conhecimentos técnicos e operacionais específicos e complementares, de acordo com as instruções técnicas, desenhos, normas e legislação pertinentes e a fiscalização técnica dos contratos de serviços.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR - ELETRÔNICA
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Automação Industrial, ou em Eletrônica, ou em Eletroeletrônica, ou em Mecatrônica, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar das tarefas de manutenção corretiva, preventiva e preditiva nas instalações e equipamentos industriais da sua área de especialização, empregando conhecimentos técnicos e operacionais específicos e complementares, de acordo com as instruções técnicas, desenhos, normas e legislação pertinentes e executar a fiscalização técnica dos contratos de serviços.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR - INSTRUMENTAÇÃO
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Automação Industrial, ou em Eletrônica, ou em Eletroeletrônica, Mecatrônica, ou em Metrologia, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar das tarefas de manutenção corretiva, preventiva e preditiva nas instalações e equipamentos industriais da sua área de especialização, empregando conhecimentos técnicos e operacionais específicos e complementares, de acordo com as instruções técnicas, desenhos, normas e legislação pertinentes e executar a fiscalização técnica dos contratos de serviços.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE MANUTENÇÃO JÚNIOR - MECÂNICA
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Eletromecânica, ou em Fabricação Mecânica, ou em Manutenção de Aeronaves, ou em Manutenção de Máquinas Pesadas, ou em Mecânica, ou em Mecânica de Aeronaves, ou em Mecânica de Precisão e Soldagem, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar das tarefas de manutenção corretiva, preventiva e preditiva nas instalações e equipamentos industriais da sua área de especialização, empregando conhecimentos técnicos e operacionais específicos e complementares, de acordo com as instruções técnicas, desenhos, normas e legislação pertinente e; executar a fiscalização técnica dos contratos de serviços.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE OPERAÇÃO JÚNIOR
Requisito: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Análises Químicas, ou em Automação Industrial, ou em Construção Naval, ou em Eletricidade e Instrumentos Aeronáuticos, ou em Eletroeletrônica, ou em Eletromecânica, ou em Eletrônica, Eletrotécnica, ou em Fabricação Mecânica, ou em Manutenção Automotiva, ou em Manutenção de Aeronaves, ou em Manutenção de Máquinas Pesadas, ou em Máquinas Navais, ou em Mecânica, ou em Mecânica de Aeronaves, ou em Mecânica de Precisão, ou em Mecatrônica, ou em Metalurgia, ou em Metrologia, ou em Petróleo e Gás, ou em Petroquímica, ou em Plásticos, ou em Química, ou em Refrigeração e Climatização, ou em Sistemas a Gás ou Soldagem, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.
Exemplo de atribuições: executar e participar das atividades de operação das instalações, equipamentos, painéis de controle, sistemas supervisórios e de monitoramento dentro dos padrões técnicos estabelecidos e das normas operacionais, controlando variáveis operacionais, observando a existência de anormalidades; atuar no processo de manutenção suprindo as necessidades de primeiro nível, direcionados as demais demandas conforme normas predefinidas, acompanhando e testando as correções.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
28
CARGO: TÉCNICO(A) DE PERFURAÇÃO E POÇOS JÚNIOR
Requisito: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Automação Industrial, ou em Construção Naval, ou em Eletricidade e Instrumentos Aeronáuticos, ou em Eletroeletrônica, ou em Eletromecânica, ou em Eletrônica, ou em Eletrotécnica, ou em Fabricação Mecânica, ou em Manutenção Automotiva, ou em Manutenção de Aeronaves, ou em Manutenção de Máquinas Pesadas, ou em Máquinas Navais, ou em Mecânica, ou em Mecânica de Aeronaves, ou em Mecânica de Precisão, ou em Mecatrônica, ou em Metalurgia, ou em Metrologia, ou em Petróleo e Gás, ou em Petroquímica, ou em Química, ou em Sistemas a Gás, ou em Soldagem, ou em Telecomunicações, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.
Exemplo de atribuições: executar e participar do processo de intervenção e perfuração de poços de petróleo e gás natural, serviços especiais e manutenção, operando equipamentos de sondas e ferramentas especiais em poços, painéis de controle, sistemas supervisórios e de monitoramento, dentro dos padrões técnicos estabelecidos e das normas operacionais, bem como controlando variáveis operacionais e observando a existência de anormalidades.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE PROJETOS, CONSTRUÇÃO E MONTAGEM JÚNIOR - EDIFICAÇÕES
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Edificações, ou em Estradas, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar do gerenciamento da execução de projetos e obras de engenharia (instalações novas e manutenção), cumprindo as normas de qualidade, segurança, meio ambiente e saúde; executar e participar da análise e interpretação da concepção de projetos de engenharia (instalações novas e manutenção), softwares e procedimentos técnicos e normativos pertinentes à área.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE PROJETOS, CONSTRUÇÃO E MONTAGEM JÚNIOR - ELÉTRICA
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Eletroeletrônica, ou em Eletromecânica, ou em Eletrotécnica, ou Eletricidade e Instrumentos Aeronáuticos, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar do gerenciamento da execução de projetos e obras de engenharia (instalações novas e manutenção), cumprindo as normas de qualidade, segurança, meio ambiente e saúde; executar e participar da análise e interpretação da concepção de projetos de engenharia (instalações novas e manutenção), softwares e procedimentos técnicos e normativos pertinentes à área.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE PROJETOS, CONSTRUÇÃO E MONTAGEM JÚNIOR - ELETRÔNICA
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Automação Industrial, ou em Eletroeletrônica, Eletrônica ou Mecatrônica, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar do gerenciamento da execução de projetos e obras de engenharia (instalações novas e manutenção), cumprindo as normas de qualidade, segurança, meio ambiente e saúde; executar e participar da análise e interpretação da concepção de projetos de engenharia (instalações novas e manutenção), softwares e procedimentos técnicos e normativos pertinentes à área.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE PROJETOS, CONSTRUÇÃO E MONTAGEM JÚNIOR - ESTRUTURAS NAVAIS
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Construção Naval, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar do gerenciamento da execução de projetos e obras de engenharia (instalações novas e manutenção), cumprindo as normas de qualidade, segurança, meio ambiente e saúde; executar e participar da análise e interpretação da concepção de projetos de engenharia (instalações novas e manutenção), softwares e procedimentos técnicos e normativos pertinentes à área.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE PROJETOS, CONSTRUÇÃO E MONTAGEM JÚNIOR - INSTRUMENTAÇÃO
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Automação Industrial, ou em Eletroeletrônica, ou em Eletromecânica, ou em Eletrônica, ou em Mecatrônica, ou em Metrologia, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar do gerenciamento da execução de projetos e obras de engenharia (instalações novas e manutenção), cumprindo as normas de qualidade, segurança, meio ambiente e saúde; executar e participar da análise e interpretação da concepção de projetos de engenharia (instalações novas e manutenção), softwares e procedimentos técnicos e normativos pertinentes à área.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
29
CARGO: TÉCNICO(A) DE PROJETOS, CONSTRUÇÃO E MONTAGEM JÚNIOR - MECÂNICA
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Eletromecânica, ou em Fabricação Mecânica, ou em Manutenção Automotiva, ou em Manutenção de Aeronaves, ou em Manutenção de Máquinas Pesadas, ou em Mecânica, ou em Mecânica de Precisão, ou em Mecatrônica, ou em Metalurgia, ou em Soldagem, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar do gerenciamento da execução de projetos e obras de engenharia (instalações novas e manutenção), cumprindo as normas de qualidade, segurança, meio ambiente e saúde; executar e participar da análise e interpretação da concepção de projetos de engenharia (instalações novas e manutenção), softwares e procedimentos técnicos e normativos pertinentes à área.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE SEGURANÇA JÚNIOR
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Segurança do Trabalho, ou de curso de nível médio acrescido de diploma ou certificado de conclusão de curso de Supervisor de Segurança do Trabalho, expedidos por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no Ministério do Trabalho e Emprego.
Exemplo de atribuições: executar e participar de estudos, avaliações e inspeções das condições de trabalho, quanto aos aspectos de segurança, e de treinamentos teórico e prático sobre segurança, visando manter os trabalhadores informados e treinados sobre os riscos, normas e procedimentos aplicáveis; complementarmente, atuar na condução de veículos automotores, especificamente nas atividades de prevenção ou mitigação de acidentes e execução do plano de respostas de emergências.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE SUPRIMENTO DE BENS E SERVIÇOS JÚNIOR - ADMINISTRAÇÃO
Requisito: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Administração, ou em Comércio, ou em Comércio Exterior, ou em Contabilidade, ou em Finanças, ou em Informática, ou em Logística, ou em Suprimento, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.
Exemplo de atribuições: executar e participar das atividades relacionadas à aquisição de bens e serviços, recebimento, armazenamento, expedição e preservação de bens, controle de estoques, inventários, recuperação e alienação de bens.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE SUPRIMENTO DE BENS E SERVIÇOS JÚNIOR - ELÉTRICA
Requisito: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Automação Industrial, ou em Eletroeletrônica, Eletromecânica, ou em Eletrotécnica, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.
Exemplo de atribuições: executar e participar de atividades relacionadas à aquisição de bens e serviços, e das atividades de identificação, codificação, padronização e catalogação de bens e serviços.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) DE SUPRIMENTO DE BENS E SERVIÇOS JÚNIOR - MECÂNICA
Requisito: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Eletromecânica, ou em Fabricação Mecânica, ou em Mecânica, Mecatrônica, ou em Metalurgia, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação.
Exemplo de atribuições: executar e participar de atividades relacionadas à aquisição de bens e serviços, e das atividades de identificação, codificação, padronização e catalogação de bens e serviços.
Remuneração: salário básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.
CARGO: TÉCNICO(A) QUÍMICO DE PETRÓLEO JÚNIOR
Requisitos: diploma ou certificado de habilitação de técnico de nível médio em Análises Químicas, ou em Petroquímica, ou em Química, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação. Registro no respectivo Conselho de Classe, como Técnico.
Exemplo de atribuições: executar e participar das análises e testes qualitativos e quantitativos, de natureza física, química e físico química, interpretando e disponibilizando os resultados, e das amostragens de fluidos, petróleo e derivados, efluentes, produtos químicos e resíduos.

Remuneração: salário Básico de R$ 2.073,87 com garantia de remuneração mínima de R$ 3.400,47.

segunda-feira, 8 de março de 2010

AULAS DO CURSO CPOG

AULAS  DO  CURSO  CPOG



TÉCNICO EM MANUTENÇÃO MECÂNICA JÚNIOR
PROF VICTTOR SANTOS SILVA

LUBRIFICAÇÃO: Ato de introduzir uma substância lubrificante entre duas superfícies tendendo ao contato que estão em movimento sob a ação de cargas, com a finalidade de reduzir o coeficiente de atrito.

*A situação crítica dos equipamentos quanto à lubrificação é a partida e a parada.

TIPOS DE LUBRIFICAÇÃO:

*Hidrodinâmica - Quando o filme de fluido (película de fluido) se desenvolve entre as superfícies em virtude do próprio movimento relativo entre as superfícies. A viscosidade é o fator mais importante.
*Hidrostática - Se estiverem as superfícies imóveis, o fluido é pressurizado no espaço entre elas, separando-as pela ação da pressão. (bomba)
*Limítrofe - Os aditivos é que atuam, formando uma película.

FATORES QUE REDUZEM A ESPESSURA DO FILME LUBRIFICANTE: Redução da viscosidade, Redução da velocidade do eixo, Aumento da carga no mancal.

ÓLEO LUBRIFICANTE = Óleos básicos + aditivos (dispersos ou dissolvidos na base)
Obs.: Todo óleo lubrificante tem aditivo antiespumante.

ÓLEOS BÁSICOS:
Subproduto obtido após o petróleo ser tratado (Sai da 2ª etapa de destilação (a vácuo) do petróleo bruto ou cru que sai como um óleo mineral. Ele é a principal matéria-prima para diversos tipos de lubrificantes. É responsável pela viscosidade do óleo lubrificante, ou seja, o "corpo" do óleo.

ADITIVOS:
Qualquer substância que melhora ou inibe características físicas do óleo basico (Performance e desempenho). Existem milhares de aditivos (Tungstênio, magnésio...) cada um com sua característica, porém podem atender para uma mesma finalidade. 
API - SA; SB; SC. SD; SE; SF; SG; SH; SI; SJ; SL; SM. Do SA ao SE não existem mais no mercado. S=Spark; Sl = Spark lubrification.  CA; CB...CG-4. C=compression ingnition (ciclo diesel); G=gear (engrenagem), GL5=Engrenagem helicoidal.

CATEGORIAS DOS ADITIVOS:

*Antiespumante, aditivos friáveis, detergentes, dispersantes, antioxidante, corante, abaixadores do ponto de fluidez, aditivos para engrenagens,anticorrosivos


Óleos básicos e seus aditivos

PROPRIEDADES DOS ADITIVOS:

*Demulsibilidade: É a capacidade de um óleo se separar rapidamente da água.
Óleos de maior viscosidade possuem maior deficiência na demulsibilidade

*Emulsibilidade: É a capacidade que o óleo tem de formar emulsão estável e homogenea em misturas de óleo e água ou vapor. (Emulsão: Usada em processo de usinagem, resfria e lubrifica.)

Como a emulsibilidade é o inverso da desemulbilidade, a colocação de organometálicos melhora a emulsibilidade.


*Ponto de fluidez: É a menor temperatura em que um óleo flui livremente, sob condições pré-estabelecidas de ensaio.

*Ponto de Fulgor: É a menor temperatura na qual um óleo desprende vapores que, em presença do ar, provocam um lampejo (flash) ao aproximar-se de uma pequena chama da superfície do óleo. 
O ensaio do ponto de fulgor é importante no julgamento das condições de um óleo de motor usado, por acusar a contaminação com combustível.

*Viscosidade: É a resistência ao cisalhamento que um fluido apresenta, a uma determinada temperatura. A viscosidade é uma das propriedades mais importantes a serem consideradas na seleção de um lubrificante, pois este deve ser suficientemente viscoso para manter uma película protetora entre a peça em movimento relativo, e também não ser tão viscoso que ofereça resistência excessiva para o movimento entre as peças.

 *Capilaridade: A capacidade do óleo de entrar em espaços capilares de uma superfície, se houver.

*Cinzas: Indica a quantidade de matéria inorgânica (poeiras metálicas ou organometálicos) presente.

*Cor: A cor não apresenta grandes indicadores para o óleo novo, salvo para o fabricante controlar a uniformidade do produto.  A cor pode ser facilmente alterada pela adição de corantes.
A cor não interfere no desempenho do óleo.

*Densidade: É a relação entre o peso do volume do óleo medido a uma determinada temperatura e o peso de igual volume de água destilada. Também é conhecida como massa específica. A maior parte dos produtos líquidos de petróleo são manipulados e vendidos por volume, porém, em alguns casos é necessário conhecer o peso do produto.

*Resíduo de carbono: Os resíduos de carbono dos óleos parafínicos são duros, comparados aos naftênicos. Os residuos são deixados nas mesmas proporções.

*Resistência a Oxidação: Contato com metais, elevadas temperaturas e reação com oxigênio acelera o processo de oxidação. Se evita com adicao de aditivos ou passar o oleo por resfriadores. Parafínico é mais resistente a oxidação que o naftênicos.

FUNÇÕES DO LUBRIFICANTE:

 4 funções: Lubrificar, Vedar, Refrigerar e Limpar
u     Vedar - Função da base, principalmente.

u     Limpar - Função das aditivações, principalmente.
Pode ser com aditivos dispersantes que faz as impurezas ficarem sobrenadantes.
Pode ser por detergência - Incorpora as impurezas presentes, por isso, apresentando uma coloração escura. É normal que em poucas horas de uso, apresente esta coloração escura.

u     Refrigerar - Função das aditivações, principalmente.
Com aditivos friáveis que passam em temperaturas quentes e absorvem calor, liberando-as em superfícies mais frias.

u     Lubrificar - Função da base, principalmente.
Principal função do lubrificante.

PROPRIEDADE DE SUBSTÂNCIAS LUBRIFICANTES

Número de Precipitação – indica o volume de matérias estranhas existentes no óleo lubrificante. Nos óleos usados revela a quantidade de partículas sólidas, ou seja, contaminação.

Número de Neutralização – avalia o grau de acidez ou basicidade do óleo lubrificante. (alcalinidade)

Número de Saponificação – avalia o índice de gordura ou óleo graxo presente em um óleo composto

                        SUBSTÂNCIAS LUBRIFICANTES

Líquidas, Pastosas (as primeiras a serem desenvolvidas), Sólidas e Gasosas.

                                                   LÍQUIDA

 Óleos Graxos, Minerais, Compostos e Sintéticos.

u      Óleos Graxos: Óleos de origem animal (óleos de peixe, baleias, porco..) ou de origem vegetal (amendoim, milho, mamona..). Raramente são usados isoladamente como lubrificantes devido a baixa resistência à oxidação em comparação com outros lubrificantes. Por isso são empregados em adição aos óleos minerais com a função de atuar como AGENTES DE OLEOSIDADE.

            *Vantagem: Possuem alta atração polar pelos metais ferrosos e não ferrosos (grande adesividade); Em local de difícil acesso ficam mais facilmente aderidos.

             *Desvantagem: Não servem para uso de grande severidade; Baixa resistência à oxidação (traz partes corrosivas, aumento de viscosidade); Não possuem boa interação com aditivos.

             *Fatores que aceleram a oxidação:

-     Altas temperaturas
-     Contato com contaminantes metálicos
-     Ar

·     Óleos Minerais: São óleos obtidos a partir do Petróleo e, de acordo com sua estrutura molecular, são classificados em óleos Parafínicos,  Naftênicos e Aromáticos.
Nas refinarias do Brasil, há predominância do processamento de petróleo Parafínico.
           
            *Vantagens:

-Elevada resistência a oxidação
-Variam menos a viscosidade com a variação da Temperatura (índice de viscosidade elevado).

·     Óleos Compostos: Os óleos compostos tentam aliar as vantagens dos óleos graxos com a dos óleos minerais.

Óleo mineral 70% a 99% + óleo graxo 1% a 30%
*Mais de 30% de graxo, predomina a baixa resistência à oxidação do graxo.
*Abaixo de 1% de graxo, não há influência da atratividade polar dos graxos logo há baixa adesividade.

O objetivo da mistura é conferir ao lubrificante maior oleosidade e maior facilidade de emulsão em presença de vapor d'água.

            *Características:
-Alta resistência a oxidação (do óleo mineral)
-Alta adesividade (do óleo graxo) - Não existe aditivos que proporcionem melhor atração polar que os óleos graxos.
           
            *Aplicação: Em máquinas de alta carga (Trefilas, Máquinas Perfuratrizes..).

u     Óleos sintéticos: São produzidos em indústrias químicas que utilizam substâncias orgânicas e inorgânicas para fabricá-las. Estas substâncias podem ser Silicone, Resinas, Glicerinas, fosfatos, Polímeros de silicone, Ésteres, Glicóis).
As necessidades industriais de lubrificantes aptos a suportarem as condições mais adversas possíveis conduziram ao desenvolvimento desses óleos.

Novos projetos de equipamentos, menores e mais severos, novos conceitos de manutenção, onde o tempo de funcionamento ininterrupto e a vida útil do equipamento e do óleo tornam-se importantes, o aumento dos custos operacionais de inatividade e de mão de obra e a necessidade de aumento da produção com o mesmo projeto de máquina viabilizaram o desenvolvimento dos óleos sintéticos.

*Vantagem:
            -Alta resistência a temperaturas extremas e suas variações.
            -Não possuem variações de viscosidade com a temperatura (alto índice de viscosidade).
            -Boa resistência à oxidação.
            - Estabilidade química
            -Maior vida útil com conseqüente redução do descarte
            -Funcionam como agente refrigerante em motores de combustão interna

*Desvantagem:
            -Limitados devido ao alto custo (sua utilização sempre requer uma análise custo x benefício)
            -Má interação com a base sintética e os aditivos oriundos da petroquímica (problema técnico).

            *Óleos Mutiviscosos - É um óleo sintético. Possuem alto índice de viscosidade devido aos aditivos de multiviscosidade (óleos sintéticos/polímeros de multiviscosidade). Seu uso é vantajoso a baixas temperaturas (T abaixo de 0°C, logo não se aplica no Brasil). Mantém a viscosidade estável em alta e baixa temperatura.
Ex. 10W20, 20W50.. - O primeiro número indica viscosidade em temperatura fria e o segundo indica a viscosidade em temperatura quente.

                                               PASTOSAS
 Composições Betuminosas e Graxas

u     COMPOSIÇÕES BETUMINOSAS

Resíduo Asfáltico + Asfalto
São feitas com resíduos das torres de refina. Podem ser aplicadas a quente ou a frio, sendo que a frio há necessidade do uso de solventes (tóxicos e inflamáveis).

u     GRAXAS:

Toda graxa tem um agente de adesividade.

Classificação:

0000 → líquida; 000; 00; 0; 1; 2 → SAE 10/SAE 90; 3; 4; 5; 6 → Sólida.

É uma combinação física de um líquido lubrificante com um agente espessante resultando em um lubrificante semi-sólido e homogêneo.
Graxa = Agente espessante + agente lubrificante + aditivos (sabão + óleo lubrificante)

            Agente espessante: Sabão responsável por conduzir o agente lubrificante ao ponto de lubrificação.

A graxa é considerada mesmo com pequeníssimas quantidades de sabão e óleos lubrificantes, desde que coexistam.
Os agentes espessantes, chamados de sabões metálicos podem ser a base de alumínio, cálcio, sódio, lítio e bário.
O óleo fica retido pelas fibras do sabão que são responsáveis por manter a coesão e, por conseguinte, pela consistência da graxa, quando esta é mantida em repouso.

As graxas são utilizadas em pontos em que os óleos lubrificantes não seriam eficazes, em virtude da sua tendência natural de escorrer, por mais viscosos que sejam. São usados, também, quando é conveniente formar um selo protetor, evitando-se a entrada de contaminantes, por exemplo em rolamentos.

A performance da graxa é função do sabão utilizado, método fofo, dos adesivos e do líquido lubrificante utilizado.

Obs.: Para análise de graxas em laboratórios, estas não podem ter sido trabalhadas (danificam as fibras dos agentes espessantes).


*Vantagem:
            -As graxas possuem um comportamento de tixiotropia (Capacidade das fibras da graxa se reagruparem após serem cisalhadas em trabalho.)
            -As graxas que sofrem dilatação (ex, armazenamento em lugar quente) sofrem amolecimento, porém elas se recuperam quando voltam para o ambiente adequado.
            -Boa retenção
            -Reduz contaminação
            -Requer aplicações menos frequentes
            -Permite lubrificação em várias posições.
            -Resistência ao choque
            -Na partida, vazamento mínimo, permite o uso de mancais selados

*Desvantagem:
            -Dificuldade de se refrigerar, ao contrário dos lubrificantes.
            -Possuem uma tendência à separação do óleo quando armazenado por muito tempo.

Um mancal refrigerado por graxa possui temperatura maior do que quando refrigerado por óleo lubrificante.

O parâmetro de referência da graxa é a consistência (o contrário dos lubrificantes - viscosidade)- 000, 00, 0, 1...6 (menor para maior consistência). Utiliza-se um penetrômetro para sua medição, que tem por objetivo conseguir determinar como vai ser a consistência da graxa quando esta for trabalhada.

PROPRIEDADES:

Tipos de Graxa (pelo tipo de sabão):

u     Graxa de Alumínio (fibras curtas):
Características semelhantes às graxas de cálcio.
-Boa adesividade
-Macia, quase sempre filamentosa
-Resistente a água
-Pode trabalhar a temperaturas de até 71°C
-Utilizadas em mancais de rolamento
-Boa estabilidade estrutural quando em uso

Muito utilizada na aviação, pois possui uma aparência branquinha.

Temos ainda, graxas sem sabão, graxas grafitadas e graxas com aditivos.

u     Graxa de Cálcio (fibras longas):
            -Vaselinada
            -Resistente a água
            -Boa estabilidade estrutural quando em uso
            -Não resiste a altas temperaturas (até 77°C)
            -Aplicada em chassis e bombas d'água
            -Próprias para mancais de deslizamento.

u     Graxa de Sódio (Fibras longas):
            -Geralmente fibrosa
            -Boa estabilidade estrutural quando em uso
            -Resistente a altas temperaturas (Ponto de gota em até 150°C)
            -Não resiste a água
            -É aplicada em mancais de rolamento, mancais de rodas, juntas universais.
            -Excelentes características de adesividade

u     Graxa de Lítio (Fibras curtas):
            -Vaselinada
            -Boa estabilidade estrutural quando em uso
            -Resiste a altas temperaturas  (ponto de gota 180°C)
            -Resistente a água
            -Grande empregabilidade (Multi-purpouse)
            -Aplicação em veículos automotores e na aviação

u     Graxa de Ba:
Semelhantes a de Li

u      Graxas de complexo de Ca e Pb:
           -Elevado grau de versatilidade
            -Elevado ponto de gota
            -Boa resistência ao calor
            -Resistência a água
            -Propriedades de Extrema Pressão (EP)

u     Graxas Grafitizadas:
           -Adicionada de lubrificante sólido Grafite
           -Separação do óleo durante armazenagem
           -Lavagem pela água

*Fibras Longas: Quando se tem um rolamento e adiciona graxa de fibras longas, quando este fica em repouso ocorre a tixotropia e as fibras se "recuperam" formando um "bolsão de ar" sob a fibra longa, assim, quando a máquina voltar a funcionar ficará zonas sem lubrificantes e isto pode ir causando danos diminuindo assim drasticamente a vida útil da máquina (rolamento). (É sempre adicionado 2/3 da graxa para que ela possa se expandir)

*Fibras Curtas: Não formam bolsão de ar, elas se expandem rapidamente ao ligar a máquina sem causar danos.

PROPRIEDADES:

*Consistência: Dureza relativa, resistência a penetração. Medida por meio de um aparelho chamado Penetrômetro. Quantidade de sabão com quantidade de óleo influência na consistência.

*Viscosidade aparente: Exprime a relação entre a tensão de cisalhamento e o grau de cisalhamento da graxa. Quanto maior o grau de cisalhamento, menor a viscosidade aparente.

*Ponto de gota: Temperatura na qual a graxa torna-se fluida, capaz de gotejar.

*Resistência ao cisalhamento: Variação de penetração trabalhada em uma graxa após o rolamento. (Graxas que sofrem muito cisalhamento apresentam maiores penetrações).

*Estabilidade à oxidação: A oxidação é proporcional a temperatura na qual a graxa foi exposta.

*Capacidade de carga: Importante para usos de extrema pressão.

*Bombeabilidade: Capacidade da graxa fluir sob ação de bombeamento. Agentes que influenciam no bombeamento: Ramais longos; Viscosidade do óleo que compõe a graxa; Consistência (> tem problemas).

*Sangramento da graxa: Separação do óleo lubrificante da graxa do agente espessante (sabão)(ocorre no armazenamento). Para ser de qualidade deve ter no máximo 6% de separação do óleo.

                                               SÓLIDOS
            Talco, Mica (argila de baixa granulometria), Talco grafite (lamelar/coloidal) e Bissulfeto/Dissulfeto de molibdênio (MoS2).
Algumas substâncias sólidas apresentam características que permitem sua utilização como lubrificantes, em condições especiais:

            -Baixa resistência ao cisalhamento
            -Estabilidade a temperaturas elevadas
            -Elevado limite de estabilidade
            -Alto índice de transmissão de calor
            -Alto índice de adesividade
            -Ausência de impurezas abrasivas
            -Maior desempenho de vedação

GRAFITE: Pode ser Lamelar ou Coloidal.

Coloidal: Após tratamentos especiais, gera a grafita coloidal, que apresenta um formato de micropartículas que ficam em movimento constante. Esta pode ser usada na forma de pó finalmente dividido ou em dispersões de água, óleos minerais e animais e alguns tipos de solventes. Atuam dispersos, em suspensão e promovem vedação.

Lamelar: Formas de cimento.

A grafita deve ser usada apenas na base do mancal, pois não terá boa eficiência nas paredes laterais e superior.

MoS2 (Dissulfeto de Molibdênio)

O Molibdênio possui uma melhor atuação que o grafite.

Os grafites e sulfetos são aplicados em lubrificantes líquidos e pastosos.

                                               GASOSA
Podem ser o Ar, Nitrogênio, oxigênio, hélio, Gases nobres..
Aplicados em mancais sob pressão.
Possui estabilidade química e elimina riscos de contaminação com o processo.

Dispositivos de Lubrificação

Almotolias;

Alemite (pistola de óleo);


Salpico;

Banho com Estopa


Pincel (engrenagens, cabos de aço e correntes) ;

Anel Pescador

NORMAS ADOTADAS

Norma SAE J 300: define o grau de viscosidade para cada lubrificante.

Ex: 10W50 (multiviscoso)
Menor temperatura mais fluido (W = winter) 10W
Maior temperatura mais viscoso 50

Graxa: NLGI (National Lubricating Grease Institute)




TÉCNICO QUÍMICO DE PETRÓLEO JR
PROF OCTAVIO GOUVEIA

PETROQUIMICA

O setor petroquímico transforma subprodutos de petróleo bruto, principalmente nafta ou gás natural, em bens de consumo e industriais utilizados para diversas finalidades. O setor petroquímico brasileiro é, via de regra, organizado em produtores de primeira, segunda e terceira geração com base na fase de transformação de várias matérias-primas ou insumos petroquímicos.

Produtores de Primeira Geração
Os produtores de primeira geração do Brasil, denominados “craqueadores” fracionam ou “craqueiam” a nafta, seu principal insumo, em petroquímicos básicos. As unidades de craqueamento compram nafta, que é subproduto do processo de refino de petróleo, principalmente da Petrobras, bem como de outros fornecedores localizados fora do Brasil. Os petroquímicos básicos produzidos pelas unidades de craqueamento de nafta incluem:

• olefinas, principalmente eteno, propeno e butadieno; e
• aromáticos, tais como benzeno, tolueno e xilenos.

Nós, a Copesul e a Petroquímica União operamos as três unidades de craqueamento de nafta do Brasil e vendemos esses petroquímicos básicos a produtores de segunda geração, inclusive, no nosso caso, produtores de segunda geração que integram a nossa companhia. Os petroquímicos básicos, que apresentam forma gasosa ou líquida, são primordialmente transportados às plantas dos produtores de segunda geração, em geral localizadas próximo às unidades de craqueamento de nafta, por meio de dutos, para passarem por processamento adicional.

Produtores de Segunda Geração
Os produtores de segunda geração processam os petroquímicos básicos comprados das unidades de craqueamento de nafta, produzindo petroquímicos intermediários. Esses petroquímicos intermediários incluem:

• polietileno, poliestireno e PVC (produzidos a partir do eteno);
• polipropileno e acrilonitrila (produzidos a partir do propeno);
• caprolactama (produzida a partir do benzeno); e
• polibutadieno (produzido a partir do butadieno).

Há aproximadamente 50 produtores de segunda geração operando no Brasil. Os petroquímicos intermediários são produzidos na forma sólida em péletes de plástico ou em pó e são transportados primordialmente por caminhão a produtores de terceira geração que, em geral, não ficam situados próximo aos produtores de segunda geração. Nós somos, atualmente, a única empresa petroquímica integrada de primeira e segunda geração do Brasil.

Produtores de Terceira Geração
Os produtores de terceira geração, denominados transformadores, compram os petroquímicos intermediários de produtores de segunda geração e os transformam em produtos finais, incluindo:

• plásticos (produzidos a partir de polietileno, polipropileno e PVC);
• fibras acrílicas (produzidas a partir de acrilonitrila);
• nylon (produzido a partir de caprolactama);
• elastômeros (produzidos a partir de butadieno); e
• embalagens descartáveis (produzidas a partir de poliestireno).

Os produtores de terceira geração fabricam vários bens de consumo e industriais, inclusive recipientes e materiais de embalagem, tais como sacos, filme e garrafas, tecidos, detergentes, tintas, autopeças, brinquedos e bens de consumo eletrônicos. Existem mais de 6.000 produtores de terceira geração operando no Brasil.

Pólos Petroquímicos
A produção de petroquímicos de primeira e segunda geração no Brasil concentra-se ao redor de três pólos petroquímicos principais. São eles:

• Pólo Petroquímico de Camaçari, localizado em Camaçari no Estado da Bahia, onde nós operamos a unidade de craqueamento de nafta;
• Pólo Petroquímico de São Paulo, localizado em Capuava, no Estado de São Paulo ou Pólo Petroquímico de São Paulo, onde a Petroquímica União opera a unidade de craqueamento de nafta; e
• Pólo Petroquímico de Triunfo, localizado em Triunfo, no Estado do Rio Grande do Sul, onde a Copesul opera a unidade de craqueamento de nafta.

Cada pólo petroquímico tem um único produtor de primeira geração, também chamado “centro de matérias-primas”, e vários produtores de segunda geração que compram insumos do centro de matérias-primas.

O Pólo Petroquímico de Camaçari iniciou suas atividades em 1978. O Pólo Petroquímico de Camaçari consiste de 28 produtores de segunda geração situados ao redor do centro de matérias-primas operado por nós. Em 31 de dezembro de 2003, o nosso centro de matérias-primas apresentava capacidade de produção anual de eteno de 1.280.000 toneladas, que, segundo nossa estimativa, respondeu por aproximadamente 44% da capacidade de produção de eteno do Brasil.

O Pólo Petroquímico de São Paulo, o mais antigo pólo petroquímico do Brasil, iniciou suas atividades em 1968. A Petroquímica União é o centro de matérias-primas desse pólo petroquímico, fornecendo petroquímicos de primeira geração a 11 produtores de segunda geração, inclusive a nossa companhia. Em 31 de dezembro de 2003, a Petroquímica União apresentava capacidade de produção anual de eteno de 500.000 toneladas.

O Pólo Petroquímico de Triunfo iniciou suas atividades em 1982. A Copesul, na qual nós detemos participação societária de 29,5%, é o centro de matérias-primas desse Pólo, fornecendo petroquímicos de primeira geração a seis produtores de segunda geração, inclusive a nossa unidade de negócio de poliolefinas. Em 31 de dezembro de 2003, a Copesul apresentava capacidade de produção anual de eteno de 1.135.000 toneladas.

Um quarto pólo petroquímico está sendo construído atualmente em Duque de Caxias, no Estado do Rio de Janeiro. A Rio Polímeros, empresa petroquímica brasileira, servirá como unidade de craqueamento de nafta do novo pólo petroquímico e anunciou que o novo pólo petroquímico será produtor integrado de primeira e segunda geração com capacidade de produção anual de 520.000 toneladas de eteno, 75.000 toneladas de propeno e 540.000 toneladas de polietileno de baixa densidade linear e polietileno de alta densidade. Essa planta usará gás natural como insumo, tendo a Rio Polímeros anunciado que, segundo espera, o pólo iniciará atividades em dezembro de 2004.


Papel da Petrobras

Anteriormente a 1995, a Constituição do Brasil concedia ao governo brasileiro um monopólio, exercido por intermédio da Petrobras, sobre a pesquisa, exploração, produção, refino, importação e transporte de petróleo bruto e produtos de petróleo refinado (com exclusão de produtos petroquímicos) no Brasil. A Constituição Federal também previa que subprodutos do processo de refino, tais como a nafta, poderiam ser fornecidos no Brasil somente pela Petrobras ou por seu intermédio. A nafta é o principal insumo utilizado no Brasil para produção de petroquímicos básicos, tais como eteno e propeno. Em 1995, a Constituição Federal foi alterada para permitir que as atividades de petróleo e relacionadas a petróleo fossem realizadas por empresas privadas, por meio de concessão ou autorização do governo brasileiro. Desde 1995, o governo brasileiro tomou várias medidas para liberalizar o setor petroquímico do Brasil.

Em 1997, a Lei nº 9.478/97 regulamentou a Emenda Constitucional de 1995 por meio da criação do Conselho Nacional de Política Energética e da Agência Nacional de Petróleo, encarregados de regulamentar e fiscalizar o setor petrolífero e o setor de energia brasileiro. Subseqüentemente à criação da Agência Nacional de Petróleo, foram introduzidas novas regras e regulamentos destinados a gradualmente eliminar o monopólio da Petrobras. Desde 1997, produtores de primeira geração, inclusive a nossa companhia, vêm importando nafta de empresas comerciais exportadoras e de produtores de petróleo e de gás do exterior.

Em 2003, a Petrobras produziu e vendeu aproximadamente 70% da nafta consumida no Brasil, tendo a Copesul e a nossa companhia importado, em conjunto, o restante.




 

TÉCNICO DE OPERAÇÕES JR

FUNÇÕES INORGÂNICAS

                                                            Prof.: PAULO SÉRGIO

1-O consumo inadequado de hortaliças pode provocar sérios danos à saúde humana. Assim, recomenda-se, após lavar as hortaliças em grande quantidade de água, imergi-las nesta seqüência de soluções aquosas:
- hipoclorito de sódio;
- vinagre;
- bicarbonato de sódio.
Dos quatro materiais empregados para limpeza das hortaliças, dois deles pertencem à seguinte função química:
a) sal    b) ácido    c) óxido    d) hidróxido

2-Até os dias de hoje e em muitos lares, a dona de casa faz uso de um sal vendido comercialmente em solução aquosa com o nome de água sanitária ou água de lavadeira. Esse produto possui efeito bactericida, fungicida e alvejante. A fabricação dessa substância se faz por meio da seguinte reação
Cl2 + 2NaOH à NaClO (A) + NaCl (B) + H‚O
Considerando a reação apresentada, os sais formados pelas espécies A e B são denominados, respectivamente:
a) hipoclorito de sódio e cloreto de sódio
b) cloreto de sódio e clorato de sódio
c) clorato de sódio e cloreto de sódio
d) perclorato de sódio e hipoclorito de sódio
e) hipoclorito de sódio e perclorato de sódio

3-Sabe-se que a chuva ácida é formada pela dissolução, na água da chuva, de óxidos ácidos presentes na atmosfera. Entre ao pares de óxidos relacionados, qual é constituído apenas por óxidos que provocam a chuva ácida?
a) Na2O e NO2.    b) CO2 e MgO.    c) CO2 e SO3.    d) CO e N2O.   e) CO e NO.

4-Para o tratamento da acidez estomacal, recomenda-se a ingestão de antiácidos que contenham hidróxido de alumínio em sua formulação.  A função dessa substância é neutralizar o excesso do ácido produzido pelo estômago.
Os produtos da reação de neutralização total entre o hidróxido de alumínio e o ácido do estômago são água e um sal, cuja fórmula está contida na seguinte alternativa:
a) AlCl    b) AlCl3   c) AlSO4    d) Al2(SO4)3

5-As regras utilizadas para nomenclatura de substâncias inorgânicas estão baseadas no número de oxidação de seus elementos químicos.
Observe o quadro abaixo, em que o cloro apresenta diferentes números de oxidação:
A alternativa que mostra a ordenação das substâncias citadas no quadro, segundo o número de oxidação crescente do cloro, é:
a) cloreto de sódio, cloro gasoso, hipoclorito de sódio e clorato de potássio
b) clorato de potássio, cloreto de sódio, hipoclorito de sódio e cloro gasoso
c) hipoclorito de sódio, cloro gasoso, cloreto de sódio e clorato de potássio
d) hipoclorito de sódio, cloreto de sódio, cloro gasoso e clorato de potássio

6-Em dois tubos de ensaio contendo água destilada, são dissolvidas quantidades significativas de óxido de enxofre IV, no tubo 1, e de óxido de sódio, no tubo 2.
Após a dissolução, as soluções contidas em cada tubo apresentam, respectivamente, o seguinte caráter:
a) ácido e ácido    b) ácido e básico   c) básico e ácido   d) básico e básico

7-A amônia (NH3) pode ser biologicamente produzida, sendo encontrada em excrementos de seres humanos e de outros animais. Esta substância apresenta caráter alcalino, podendo reagir com outros gases presentes na atmosfera, responsáveis pela chuva ácida. As reações de neutralização desta base com os ácidos sulfúrico (H2SO4) e nítrico (HNO3) produzem, respectivamente, os sais:

8-Diretores de uma grande indústria siderúrgica, para evitar o desmatamento e adequar a empresa às normas de proteção ambiental, resolveram mudar o combustível dos fornos da indústria. O carvão vegetal foi então substituído pelo carvão mineral. Entretanto, foram observadas alterações ecológicas graves em um riacho das imediações, tais como a morte dos peixes e dos vegetais ribeirinhos. Tal fato pode ser justificado em decorrência
a) da diminuição de resíduos orgânicos na água do riacho, reduzindo a demanda de oxigênio na água.
b) do aquecimento da água do riacho devido ao monóxido de carbono liberado na queima do carvão.
c) da formação de ácido clorídrico no riacho a partir de produtos da combustão na água, diminuindo o pH.
d) do acúmulo de elementos no riacho, tais como, ferro, derivados do novo combustível utilizado.
e) da formação de ácido sulfúrico no riacho a partir dos óxidos de enxofre liberados na combustão.

9- A água destilada (pH = 7,0) em contato com o ar dissolve o dióxido de carbono (CO2) levando à formação de um composto que a deixa levemente ácida (pH ¸ 6,0). Nas grandes cidades, a queima de combustíveis fósseis produz gases, como os óxidos de nitrogênio e de enxofre, que reagem com a água produzindo compostos ainda mais ácidos. À precipitação dessas soluções aquosas denomina-se chuva ácida. Os gases como o dióxido de carbono, os óxidos de nitrogênio e o trióxido de enxofre, presentes no ar das grandes cidades, reagem com a água podendo formar, respectivamente, os ácidos
a) carboxílico, nítrico e sulfídrico.   b) acético, muriático e nítrico.
c) carbônico, nítrico e sulfúrico.     d) carbônico, sulfúrico e nítrico.    e) clorídrico, nítrico e sulfúrico.

10-Nem todos os compostos classificados como sais apresentam sabor salgado. Alguns são doces, como os etanoatos de chumbo e berílio, e outros são amargos, como o iodeto de potássio, o sulfato de magnésio e o cloreto de césio.
A alternativa que apresenta apenas fórmulas de sais com gosto amargo é:
11-Um agricultor necessita fazer a calagem do solo (correção do pH) para o cultivo de hortaliças e nesse processo utilizará cal virgem (CaO).
Com base na informação acima, assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).
(01) Cal virgem reage com água segundo a equação: CaO + H2O à Ca(OH)2.
(02) A calagem diminui o pH do solo.
(04) A dissociação de hidróxido de cálcio em água libera íons (OH)­ que neutralizam os íons H+ presentes no solo.
(08) A calagem é um processo de neutralização.
(16) Cal virgem é um óxido ácido.

12-Ao queimar na atmosfera, o metal (X), pertencente à família dos metais alcalinos, forma uma substância (Y), que reage com água, formando uma substância (Z), que, por sua vez, reage com ácido, formando uma substância (W). As substâncias Y, Z e W são classificadas, respectivamente, como
a) sal, hidróxido e óxido.   b) hidróxido, óxido e sal.  c) óxido, sal e hidróxido.  d) óxido, hidróxido e sal.

13-Foi analisado o comportamento químico de dois óxidos não identificados, conforme descrito a seguir:
O óxido X é gás à temperatura ambiente e reage prontamente com água, formando uma solução de pH 3. Além disso, neutraliza uma solução aquosa de soda cáustica.O óxido Y é um sólido branco que reage com a água, resultando em uma solução de pH 11. Esse sólido neutraliza uma amostra de ácido muriático. As fórmulas que melhor representam X e Y são, respectivamente,

14-Um pedaço de magnésio é colocado na ponta de uma espátula e em seguida é queimado. Forma-se o óxido de magnésio (I). Uma das características desse óxido é que, na água, ele forma a base correspondente (II). Fazendo-se a reação de neutralização total dessa base com o ácido clorídrico forma-se sal e água (III).
Assinale a alternativa que corresponde aos produtos das reações (I), (II) e (III) ocorridas no experimento.

15-Um composto sólido é adicionado a um béquer contendo uma solução aquosa de fenolftaleína. A solução adquire uma coloração rósea e ocorre a liberação de um gás que é recolhido. Numa etapa posterior, esse gás é submetido à combustão completa, formando H2O e CO2. Com base nestas informações, é CORRETO afirmar que o composto é
a) CO(NH2)2.     b) CaC2.    c) Ca(HCO3)2.    d) NaHCO3.   e) Na2C2O4.

16-Emissões de gases do tipo SOx na atmosfera causam vários danos ambientais. Na agricultura,
um desses danos é tornar o solo inadequado para o plantio, devido a compostos formados pela
reação desses gases com a água da chuva.
Nesse caso, a fórmula de uma das substâncias que podem ser adicionadas ao solo para torná-lo
mais adequado para o plantio está descrita em:
(A) NaNO3   (B) CaCO3   (C) FeSO4   (D) Cl2O3


17-Um estudante observou algumas propriedades de um determinado metal Me:
-reagir facilmente com os halogênios;
-formar peróxido do tipo Me2O2 ;
-apresentar elevada eletropositividade.
Esse elemento, na Tabela de Classificação Periódica, está localizado na seguinte coluna:
(A) 1    (B) 2    (C) 6    (D) 8

18-Na atmosfera artificial do interior das cápsulas espaciais, o oxigênio consumido pelos
astronautas é renovado a partir de reservas de O2. Para manter a concentração do gás produzido
pelo metabolismo energético dos tripulantes em níveis não-tóxicos, o ar artificial dessas cápsulas
precisa, ainda, ser continuamente purificado.
Uma das substâncias que podem ser utilizadas na purificação do ar, com esse objetivo, é:
(A) HCl      (B) K2SO4    (C) H2CO3   (D) NaOH


19-O técnico de uma farmácia deve usar um composto de enxofre para preparar um determinado
medicamento.
Os compostos de que ele dispõe são:
I- sulfato de sódio II- sulfeto de zinco III- sulfato de magnésio IV- sulfeto de sódio
O preparo desse medicamento deverá ser feito com o composto que apresente a maior razão
entre o número de átomos de enxofre e o número total de átomos dos outros elementos.
Considerando uma unidade de cada composto, aquele a ser utilizado é o de número:
(A) I   (B) II    (C) III   (D) IV

20-  O ácido clorídrico puro (HCℓ) é um composto que conduz muito mal a eletricidade. A água pura (H2O) é um composto que também conduz muito mal a eletricidade; no entanto, ao dissolvermos o ácido na água, formamos uma solução que conduz muito bem a eletricidade, o que se deve à:
a) dissociação da água em H+ e OH-.                          b) ionização do HCℓ, formando H3O+ e Cℓ-.
c) transferência de elétrons da água para o HCℓ.         d) transferência de elétrons do HCℓ para a água.
e) reação de neutralização do H+ da água com o Cℓ- do HCℓ.



TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO E CONTROLE JR

PROF FLÁVIO TOLEDO



1) Os principais recursos empresariais são os recursos materiais, financeiros, humanos, mercadológicos e administrativos. Em empresas industriais e comerciais, o administrador de recursos materiais merece destaque especial. Dentre suas principais responsabilidades, está a de



(A) formular as políticas de remuneração de funcionários.

(B) negociar prazos de entrega e condições de pagamento com clientes.

(C) estabelecer regras e padrões de utilização dos recursos de produção.

(D) determinar o quê, como e quando devem ser comprados itens produtivos e improdutivos.

(E) determinar preço de venda e margem de lucro dos itens.



2) A classificação de materiais é o processo de aglutinação por características semelhantes, e determina grande parte do sucesso no gerenciamento de estoques. São critérios de classificação de recursos Materiais, EXCETO a(o)



(A) periculosidade.

(B) perecibilidade.
(C) importância operacional.
(D) possibilidade de fazer ou comprar.
(E) preço unitário.

3) Um dos grandes desafios da gestão de operações é o estabelecimento e a manutenção de níveis de serviços competitivos nos mercados em que a empresa atua. O nível de serviço é uma medida de desempenho e, como tal, deve ser gerenciado e constantemente comparado aos dos concorrentes. Com relação à medida e gestão do nível de serviço, analise as afirmativas abaixo.

I – Quanto maior o nível de serviço, maior o custo operacional da empresa em mantê-lo elevado.
II – A pontualidade na entrega e a consistência do pedido são dimensões tipicamente contempladas na
composição do nível de serviço.
III – Para estabelecer o nível de serviço adequado, a empresa deve entender primeiramente as expectativas dos seus clientes.
IV – O tempo de espera é um importante fator de desempenho na composição do nível de serviço.

São corretas as afirmativas

(A) II e III, apenas. (B) III e IV, apenas. (C) I, II e IV, apenas. (D) I, III e IV, apenas. (E) I, II, III e IV.

4) Na administração de serviços prediais e de equipamentos, cuja utilização é fundamental para o dia a dia da empresa, um índice muito utilizado para monitorar a produtividade desses equipamentos mede simultaneamente sua disponibilidade, eficiência e qualidade. Qual é esse índice?

(A) CEP : Comissão de Ética Pública
(B) DEQ : Decisão via Exceção quantificada (um novo modelo de gestão e Auditoria)
(C) CCQ : Circulo de controle de qualidade que mede eficiência e eficácia.
(D) OEE : Eficiência Global do Equipamento (mede eficiência e disponibilidade)
(E) TPM : Manutenção Produtiva Total (dar ênfase na manutenção preventiva)

5) A função de compras de uma empresa tem grande importância para a administração, em especial para a administração pública. São objetivos típicos da função de compras, EXCETO o de:

(A) obter serviços e mercadorias na quantidade e qualidade necessárias.
(B) obter serviços e mercadorias ao menor custo possível.
(C) garantir a entrega do produto ou serviço por parte do fornecedor.
(D) garantir a armazenagem correta dos produtos.
(E) desenvolver novos fornecedores.
6) Sabe-se que a política de reposição de estoque adotada para um item é o sistema de revisão periódica. O consumo médio diário é de 20 unidades, e pode ser considerado estável. O lead-time de entrega do fornecedor é de 5 dias. Se o saldo atual em estoque é de 200 unidades, o nível máximo de estoque é de 300 unidades, e a próxima revisão ocorre dentro de 3 dias, qual deve ser o tamanho,em unidades, do próximo lote de fornecimento?

(A) 100 (B) 150 (C) 160 (D) 200 (E) 240

D = Emáx – Eatual

Onde:

D: É a Demanda, ou a Quantidade a ser pedida.
Emáx: Estoque Máximo
Eatual: Estoque Atual

Como o consumo diário é de 20 unidades, e ainda temos 3 dias até a próxima revisão, então serão consumidos:
 

20 x 3 = 60 unidades até o dia da revisão.

O Estoque atual hoje é de 200, mas no dia da revisão será: 200 – 60 = 140 unidades

Portanto, o próximo Lote de Fornecimento será:

D = Emáx – Eatual
D = 300 – 140
D = 160 unidades




7) Sobre o modal ferroviário, seus equipamentos e características de desempenho é INCORRETO afirmar que:

(A) apresenta o menor custo fixo dentre todos os modais e maior custo variável.
(B) oferece capacidade de transportar grandes volumes de carga em longas distâncias, com média a alta variabilidade de tempo de trânsito.
(C) é indicado para transportar matérias-primas como carvão, madeira e produtos químicos e também produtos de baixo valor agregado, como alimentos, papel e produtos de madeira.
(D) há redução do tempo exigido no intercâmbio de vagões com o uso de vagões articulados com chassi estendido para carregar diversos contêineres em uma única unidade flexível.
(E) há duplicação da capacidade de cada vagão ao se utilizarem vagões-plataforma construídos para transportar dois níveis de contêineres.

8) A manutenção de instalações tem por objetivo básico conservá-las operando nas condições para as quais foram projetadas. As empresas dependem cada vez mais das instalações prediais como telefones, computadores e outros equipamentos. A atuação comprometida do funcionamento de qualquer parte do sistema predial pode gerar consequências graves para a empresa. Nesse contexto, a função de manutenção tem papel essencial. Sobre os tipos de manutenção, analise as afirmativas a seguir.

I – A manutenção produtiva total é uma filosofia gerencial que atua nas pessoas e nas formas como tratam os problemas, buscando a meta de zero falha ou zero quebra.
II – A manutenção corretiva visa a recuperar a capacidade produtiva de um equipamento ou instalação que tenha diminuído sua capacidade de exercer funções para as quais foi planejado.
III – A manutenção preditiva consiste em seguir uma programação preestabelecida, cuja periodicidade é prevista nos manuais dos equipamentos, tendo como benefício o aumento da vida útil e a redução de custos de quebra.
IV – A manutenção preventiva consiste em monitorar parâmetros e condições de equipamentos de modo a antecipar futuros problemas.
São corretas as afirmativas

(A) I e II, apenas. (B) II e III, apenas. (C) I, III e IV, apenas. (D) II, III e IV, apenas. (E) I, II, III e IV.

9) O consumo de determinado item de estoque foi acompanhado durante 6 meses, de acordo com a tabela a seguir.
Para prever a demanda do sétimo mês, o analista decidiu usar, isoladamente, 3 métodos:
1 - média móvel simples para 4 períodos;
2 - média móvel simples para 3 períodos; e
3 - média móvel ponderada para 3 períodos, assumindo- se os pesos 0,5 para o período mais recente, 0,3
para o período anterior e 0,2 para o período restante. Se a demanda real do sétimo mês foi 200 unidades,
conclui-se que o:

(A) método 1 forneceu uma previsão com menor erro absoluto que o método 2.
(B) método 2 forneceu uma previsão com menor erro absoluto que o método 3.
(C) maior erro absoluto foi obtido pelo método 2.
(D) menor erro absoluto foi obtido pelo método 1.
(E) menor erro absoluto foi obtido pelo método 3.

 10) Na determinação do layout interno de armazéns e para determinar a melhor localização dos produtos, são usados diversos métodos e critérios. A respeito dos objetivos do planejamento da localização dos estoques e seus métodos e critérios, afirma-se que:

(A) o objetivo do planejamento da localização dos estoques é maximizar as distâncias percorridas dentro do armazém.
(B) o critério de compatibilidade restringe a localização de produtos de acordo com o tamanho que possuam.
(C) o critério de complementaridade restringe a localização de produtos com base na frequência de solicitação conjunta.
(D) a aplicação de um critério isolado é suficiente para minimizar o custo total de manuseio.
(E) um dos objetivos da armazenagem é aumentar o tempo unitário de manuseio, reduzindo o custo total de armazenagem.

11) A empresa Tudo para Motores Ltda fabricante de peças, teve, num determinado período de 2009, o seguinte volume de vendas, em unidades, do produto bomba centrífuga TM – 3: julho – 2.600; agosto – 2.400; setembro – 2.650; outubro – 2.850; novembro – 2.900 e dezembro – 3.100. Utilizando a média móvel dos últimos quatro meses do ano, a previsão para janeiro do ano seguinte é de:

(A) 2.550 (B) 2.633(C) 2.750 (D) 2.875 (E) 3.300

12) Uma medida de desempenho administrativo amplamente utilizada está relacionada ao retorno sobre o investimento, ROI (return on investiment), que é o lucro pós-tributação dividido pelo ativo total. Como os estoques podem representar uma parte do ativo total, tem-se que a(o)

(A) manutenção inalterada dos estoques resulta em uma redução significativa no ROI.
(B) redução nos estoques pode resultar em uma redução significativa no ROI.
(C) redução nos estoques pode resultar em um aumento significativo no ROI.
(D) aumento nos estoques não interfere no retorno sobre o investimento.
(E) aumento nos estoques pode resultar em um aumento significativo no ROI.

13) O gráfico a seguir mostra o consumo do item A-420 no estoque de um fabricante de peças eletrônicas. A abscissa, no gráfico, representa o tempo, em meses, de consumo desse item no estoque, e a ordenada indica a quantidade, em unidades, do item estocado. Com base nessas informações e analisando o gráfico,
conclui-se que o(a)

(A) estoque de segurança é nulo.
(B) lead time excede o consumo.
(C) consumo é constante em todo o período.
(D) tempo de reposição é fixo.
(E) entrega do item está fora de prazo.

14) Uma empresa fabricante de rótulos consome, por mês, 3.600 galões de tinta de impressão em determinada cor. A empresa mantém um estoque de segurança deste tipo de tinta de 400 galões, e o tempo de reposição é de 15 dias. O ponto de pedido desse item, em unidades, é:

(A) 1.400 (B) 1.800 (C) 2.200 (D) 4.000 (E) 7.600

o Ponto de Pedido (PP):

PP = (TR x C) + ES
PP = (0,50 x 3600) + 400
PP = 1800 + 400
PP = 2200

15) No gerenciamento dos estoques de materiais, é fundamental a monitoração dos estoques por meio de indicadores de desempenho. O indicador, expresso em porcentagem, da proporção de informação correta da quantidade física disponível no armazém, comparada com a informação existente nos registros de controles de entrada e saída do material que consta no sistema de informações, em um
determinado momento, é a
(A) acurácia. ( aperfeiçoar, apurar, diagnosticar. Acurácia é o quanto você consegue chegar próximo da sua meta, enquanto que precisão é associada a repetibilidade.)
(B) produtividade.
(C) disponibilidade.
(D) variabilidade.
(E) durabilidade.
16) A fábrica de embalagens Caixa Verde Ltda mantém, em um estoque de segurança, 600 unidades de grampos de fixação para caixas, o GFIX-328. Supondo que a empresa tenha feito um pedido de compra de 3.000 unidades desse item, o estoque médio, em unidades, do GFIX-328, é.

(A) 1800 (B) 2100 (C) 3600 (D) 4200 (E) 5100

EM = PC/2 + ES
EM = 3000/2 + 600
EM = 2100

17) A Oil-can Ltda é uma fabricante de latas para óleo lubrificante que tem, em seu estoque físico, 288.000 itens diferentes, que fazem parte do inventário da empresa. Suponha que um colaborador possa contar, em média, 60 itens por minuto e que a empresa precise que esses itens sejam contados em dois dias de trabalho, sendo cada dia de 8 horas. O número de colaboradores necessários para executar essa tarefa é:

(A) 20 (B) 18 (C) 15 (D) 10 (E) 5

288000 itens x 1min/60 itens= 4800 minutos (tempo que 1 homem gastaria)
4800 min=4800min x 1h/60 min=80 h

Em 2 dias de trabalho temos 2 d x 8h /d=16 horas
 


1 homem gasta 80 h
x homens gastam 16 h

regra de três inversamente porprocional

x=5

18) Um administrador relacionou os seguintes tipos de serviços:

I – fabricação de móveis e utensílios;
II – Educação e Ensino;
III – entretenimento;
IV – produção de alimentos;

Sabendo-se da classificação dos serviços em concretos e abstratos, a sequência que representa a classificação correta destes serviços é:

(A) concreto, abstrato, abstrato e concreto.
(B) concreto, abstrato, abstrato e abstrato.
(C) abstrato, concreto, abstrato e concreto.
(D) abstrato, abstrato, concreto e concreto.
(E) abstrato, concreto, concreto e abstrato.

19) A Sicom, Sistemas de Bombas de Combustível Ltda., executa uma determinada atividade, visando garantir o rápido desembaraço dos materiais adquiridos, cuidando para que eles tenham a qualidade especificada na encomenda, a quantidade estabelecida, o preço contratado e a época certa de chegada. Essa atividade desenvolvida faz parte da (o)

(A) armazenagem.
(B) financeiro.
(C) produção.
(D) recebimento.
(E) venda.

20) Para a Sicom, Sistemas de Bombas de Combustível Ltda.,a conferência do estoque de materiais é fundamental por causa do número de itens armazenados. Esse controle avalia a existência ou não de diferenças entre as quantidades efetivamente expostas no estoque e seus registros contábeis, em um determinado período. Esse tipo de procedimento
está de acordo com o (a):

(A) sistema de duas gavetas.
 o estoque é armazenado em duas gavetas, na gaveta A tem-se o estoque previsto no período. O almoxarifado atende as RMs (requisição de materiais) que chegam pelo estoque da gaveta A, quando o estoque chega ao final emiti-se um Ocs ou pedido de compra para reposição e passa a atender as RMs pelo estoque da gaveta B, dento esta quantidade somente para atender a necessidade em um determinado período de tempo ate a reposição de estoque mais o estoque de segurança.
(B) inventário físico.
Inventário é o procedimento administrativo que consiste no levantamento físico e financeiro de todos os bens móveis, nos locais determinados, cuja finalidade é a perfeita compatibilização entre o registrado e o existente, bem como sua utilização e o seu estado de conservação.
(C) análise custo-receita.
É a análise do gráfico da receita e do custo.
(D) técnica da curva de Pareto.
(E) classificação ABC.
curva de experiência ABC, também conhecida como Análise de Pareto, ou Regra 80/20, é um estudo que foi desenvolvido por Joseph Moses Juran, um importante consultor da área da qualidade que identificou que 80% dos problemas são geralmente causados por 20% dos fatores. O nome “Pareto” vem de uma homenagem ao economista italiano Vilfredo Pareto, que em seu estudo observou que 80% da riqueza da Itália estava na mão de 20% da população. E boa parte do entendimento da Curva ABC se deve à análise desenvolvida por Pareto.
Curva ABC recebeu este nome em decorrência da metodologia utilizada, veja a explicação detalhada abaixo:
o    de Classe A: de maior importância, valor ou quantidade, correspondendo a 20% do total;
o    de Classe B: com importância, quantidade ou valor intermediário, correspondendo a 30% do total;
o    de Classe C: de menor importância, valor o